PROLETRAMENTO MATEMÁTICA VIRADOURO 2013

ESPAÇO DEDICADO A POSTAGENS DE TRABALHOS RELATVOS AO PROLETRAMENTO DE MATEMÁTICA DO MUNICÍPIO DE VIRADOURO - SP


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Portifólio

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Portifólio em Seg Abr 02, 2012 3:16 pm

Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº1 de 15/03/2012 - Apresentação e Motivação para o Pró - Letramento

1 - DESCRIÇÃO SUCINTA DO ENCONTRO DE CURSISTAS

Tivemos a apresentação dos participantes, dinamica e apresentação do material.Troca de experiencia com as demais professoras, relatos de diferentes de formas de aplicar as atividades.

2 - TI’s (Tarefas Individuais) Propostas

2.1 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES COM OS ALUNOS

3- MINHAS CONCLUSÕES

Com a apresentação podemos nos conhecer melhor, apesar de colegas de trabalho a correria do dia a dia nos afasta. Conhecemos também o material que será utilizado por nós para sanarmos nossas dúvidas e melhorar cada vez mais o resultado do nosso trabalho.

Ver perfil do usuário

2 Fascículo 1 em Seg Abr 02, 2012 3:18 pm

b]Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012[/b]
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº2 de 22/03/2012 - Fascículo 01 –Números Naturais.Páginas(7 a 21)

1 - DESCRIÇÃO SUCINTA DO ENCONTRO DE CURSISTAS
Apresentação da pauta do dia e iniciamos as atividades propostas no material didático, com apresentação das atividades.


2 - TI’s (Tarefas Individuais) Propostas

TI - 1 Selecione exemplos de trabalhos de alunos representando números. Comente-os e leve este material para discutir com o grupo de formação no próximo encontro.
Coloquei alguns palitos de sorvete sobre a carteira de cada aluno e pedi que contassem que registrassem e representassem com desenho, depois completaram uma tabela: amarrados/soltos.
O aluno Vitor 8, acertou sua contagem mas no registro errou, tinha 12 palitos e ele registrou 21, dei novamente 12 palitos e pedi que fizesse grupos de dez e amarrassem. Fiz a tabela amarrados/soltos, ao colocar os palitos, percebeu que os palitos amarrados ficam a esquerda dos soltos.
Fiz outras vezes a atividade com quantidades diferentes para me certificar que tinham assimilado.


TI – 2 Vamos explorar etiquetas com valores como 16 e 61. Ao mostrar estas etiquetas para os alunos, que perguntas você poderia fazer para ajudar seus alunos a observarem a diferença existente entre esses dois registros numéricos de agrupamentos diferentes?
Qual das duas etiquetas representam maior quantidade, 16 ou 61?
Esses números têm o mesmo valor?
Quanto vale o 1 e o 6 em cada etiqueta?

TI – 3 Usando a idéia de comparação de coleções e contagem dos elementos de cada coleção, elabore uma atividade de ordenação de números naturais para os alunos.
Distribuam 20 canetas e 17 tampas de canetas para os alunos. Peça que verifiquem se há mais canetas ou tampas. Pergunte quantas tampas precisam para que nenhuma caneta fique sem tampa.

TI – 4 Elabore uma atividade lúdica de ordenação de números naturais na reta numérica.
Desenhe no chão uma reta numérica de 0 a 10. Coloque o aluno nº 2 e pergunte quantos pontos marcados na reta faltam para chegar no 6.

TI – 5 Descreva pelo menos quatro representações diferentes para o número 984 usando materiais concretos

948 – 894 – 849 – 498

TI – 6 Expliquem por que é errado dizer que o número 28 tem 8 unidades. Quantas unidades têm 28? Qual é o significado correto do algarismo 8, em 28?
Porque o numero 28 tem 28 unidades. O 8 representa as unidades soltas que não formaram grupos.

TI – 7 Explique por que é errado dizer que o número 234 tem 3 dezenas? Quantas dezenas tem 234? Qual é o significado correto do algarismo 3, em 234?
Porque com o numero 234 dá para se formar 23 grupos de 10. O 3 representa 3 grupos de 10 soltos.

TI – 8 Elabore uma atividade, explorando recursos discutidos neste fascículo, para ajudar seus alunos a compreender que há unidades agrupadas nas dezenas, dezenas agrupadas nas centenas, e assim por diante.
De acordo com o ábaco abaixo respondam. Quantas bolinhas verdes (unidades) precisam para formar o numero 32?
R: 32 bolinhas

TI – 9 Na seção 3 da Parte I, afirmamos que perguntas como: “quantos a mais” e “quantos a menos” ajudam a dar significado às operações. Discuta a qual operação cada uma destas perguntas está associada.
Ambas fazem uma comparação para verificar a diferença, portanto a subtração.

TI – 10 Crie um jogo com a idéia de juntar que possa ser desenvolvido na área externa de sua escola, envolvendo a participação corporal das crianças.
Formar 2 grupos A e B e desenhar no chão 2 círculos. Cada grupo escolhe 2 crianças para responder, as outras 2 ficam em seus respectivos círculos.
Dado o sinal “já” as crianças dos círculos mostram as mãos erguidas com a quantidade que escolherem de dedos erguidos.
A criança do grupo que acertar ganha 1 ponto. Vão trocando os pares até terminar as crianças. Ganha a equipe que tiver mais pontos.

TI – 11 Exemplifique pelo menos duas situações possíveis de ocorrer no cotidiano da sala de aula, nas quais a professora ou o professor pode chamar a atenção para a ação de acrescentar. Para cada uma delas, registre uma pergunta que a professora ou o professor pode fazer aos seus alunos.
Contagem de meninos e meninas presentes no dia. Ex: Há naquele dia 17 meninas e 8 meninos. Perguntar quantos meninos precisaria para que a quantidade de meninos e meninas fosse igual.
Contagem das aulas. Ex: Estamos na 3ª aula, quantas aulas a mais teremos hoje, sendo que são 5 aulas no total?

TI – 12 Em um problema de retirada, sempre há pelo menos três quantidades envolvidas: (1) quanto havia da retirada; (2) quanto foi retirado e (3) quanto restou. Para cada uma das duas sugestões feitas acima, reconheça qual dessas quantidades a criança deve encontrar e quais são as quantidades conhecidas no problema.
1ª sugestão: encontrar o que restou pois o quanto tinha e o que foi retirado está no enunciado.
2ª sugestão: encontrar o que foi retirado, pois o que tinha e o que restou foi visualizado.


TI – 13 Elabore uma atividade de comparação na qual os alunos precisam ter interiorizados a idéia de comparar, pois não é possível dispor concretamente os elementos dos dois grupos lado a lado.
Numa mata há 9 ipês roxos e 4 riachos. Quantos ipês roxos há a mais que os riachos, na mata?


TI – Elabore uma situação-problema envolvendo a ação de completar. Liste as perguntas que você deve fazer ao seu aluno.
14 João comprou um álbum que cabem 24 figurinhas. Ele já colou 8 figurinhas. Quantos faltam para ele completar.
Quantas figurinhas cabem álbum?
Quantas ele tem?
Quantas faltam para ele completar?

TI – 15 Diante do problema de comparação: “Flávia tem 38 anos e sua filha, Duda, tem 13. Quantos anos a filha de Flávia tem a menos que ela?”, Clara apresentou a seguinte solução, apoiada na idéia de reta numérica:
Clara marcou na reta as duas idades (13 e 38) envolvidas no problema. Em seguida, marcou os números 20 e 30 e assinalou “saltos”, com os valores 7, 10 e 8, para sair de 13 e chegar a 38. Abaixo desta representação, a aluna escreveu a resposta correta, ou seja, 25.

a) Clara realizou um cálculo mental para obter a resposta. Qual foi?
Para chegar no 20 são 7, 20 para chegar no 30 são 10 e 30 para chegar ao 38 são 8. Ela então somou 7+10+8=25
b) Por que você acha que Clara escolheu estes “saltos”?
Ela se apoiou em números redondos 20,30.
c) Exemplifique outros “saltos” que uma criança poderia usar para chegar à resposta.
13+10+10+5=38.
d) Que lhe parece mais natural: calcular 38-13 ou as ações de Clara? Por quê?
As ações de Clara, porque é mais fácil resolver mentalmente.


TI – 16 Faça um planejamento de peças para montar um dominó da adição com todos os fatos básicos da soma até 5.

1+4|3 1+2|4 2+2|5 2+3|5 1+1|1 1+0|5


TI – 17 Qual a operação que o aluno B deve realizar para adivinhar a carta escondida? Você acha que esta atividade ajuda o aluno a compreender que a adição e a subtração são operações inversas? Por quê?
Sim, porque ele vai ver que tanto faz ele pensar 9+quanto dá 15 ou 15-9 dá... A resposta será a mesma, 6.


2.1 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES COM OS ALUNOS

Trabalhei com um grupo de alunos de 8 anos a contagem e representação de números.Usei palitos de sorvete ,barbante e uma tabela,achei muito produtivo trabalhar no concreto.Aluno que tinha errado a forma de representar,no momento de preencher a tabela,percebeu o erro e corrigiu .Fui fazendo várias perguntas para que entendesse os agrupamentos e o valor posicional dos números.

3- MINHAS CONCLUSÕES
Conclui que com o material concreto é mais fácil a criança entender o processo.



Última edição por marisa bruschini camilo em Qua Jun 20, 2012 4:51 pm, editado 3 vez(es)

Ver perfil do usuário

3 Fascículo 2 em Seg Abr 02, 2012 3:23 pm

Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº3 de 29/03/2012 - Fascículo 02 –Operação com números Naturais

1 - DESCRIÇÃO SUCINTA DO ENCONTRO DE CURSISTAS
A importancia de se trabalhar em grupo, um ajuda o outro na solução do problema, apesar de formar uma bagunça "pedagógica".

2 - TI’s (Tarefas Individuais) Propostas
TI – 1 Você acha que o algoritmo da subtração ajuda os alunos a efetuarem cálculos como "8-3=" ou "9-4="? Explique sua resposta.
Não. Porque se trata de uma subtração com fatos básicos.

TI – 2 Para ilustrar o uso de um outro material, vamos subtrair 17 de 35. Faça você as etapas, utilizando o QVL e, por exemplo, o material dourado.
Mostrar o material dourado e perguntar se sabem o valor de cada peça.
Pedir aos alunos que representem o 35(minuendo) no QVL. Na linha abaixo representar o 17(subtraendo).
Perguntar aos alunos se eles podem tirar 7 unidades de quem tem só 5.
Perguntar o que será preciso fazer, os alunos devem concluir que será preciso desfazer 1 barrinha em 10 cubinhos assim de 15 cubinhos poderão retirar 7 e que na casa da dezena ficaram 2 barras e que é possível tirar 1 – Então o resultado ficará: 1 barrinha nba dezena e oito cubinhos na unidade.

TI – 3 Faça você mesmo as etapas da subtração 208-25, usando o QVL e uma representação de material concreto.
Neste caso com o material dourado tambem, montar o mesmo QVL, CDV.
Na casa da unidade não há dificuldade em visualizar, mas na dezena, perguntar como tirar duas dezenas de quem não tem nada. Os alunosdevem concluir que será preciso desfazer uma placa (100unidades) em dez barrinhas(10 unidades cada) ai sim retiradas as 2 barrinhas(20 unidades). Restando no final 1 placa, 8 barrinhas e 3 cubinhos que representam183.

TI – 4 A criança, antes mesmo de ter iniciado o estudo das operações de multiplicação e divisão, já pode ter contato com problemas que passam ser resolvidos apenas por adição e subtração, mas que já tragam algumas das ideias necessárias para conceituar as novas operações. Exemplifique uma atividade que prepare para a multiplicação e uma que prepare para a divisão.
Pedir que 3 crianças venham até a lousa. Dizer para toda sala, vou dar 2 lápis para cada uma das crianças chamadas. Perguntar quantos lápis dei ao todo? Provavelmente eles somarão 2+2 = 4 com +2 = 6. Dar um outro exemplo com número maior. Perguntar e se fossem 43 crinças como fariam?
As crianças vão perceber que com números maiores terão que usar outras estratégias.

TI – 5 Pesquise em livros didáticos e apresente pelo menos dois exemplos de situações-problema envolvendo o raciocínio combinatório. Para cada um deles, monte esquema de solução.
1º Exemplo: Passando em frente à pizzaria Nilde leu “Experimente os 8 tipos de pizza”. Nilde não resistiu e entrou.
Veio um garçom e perguntou: - Quais são os sabores das pizzas?
Ele respondeu: - Temos Atum, queijo, presunto e palmito.
Ué? Não são 8 tipos de pizza?
São! Você pode escolher massa grossa e massa fina!
Ajude Nilde a resolver esta questão, escreva em seu caderno os 8 tipos de pizza que podem ser servidos na pizzaria. A solução é a mesma mostrada no livro. Colocar os 4 saboresna horizontal e os 2 tipos de massa na vertical.

2º Exemplo: Clodoaldo, Oscar e seus amigos participarão de um campeonato de futebol na escola. Para isso precisam de um novo uniforme. Eles foram a uma loja e separaram as bermudas e as camisetas de que mais gostaram.
Camisestas: vermelha, amarela e verde;
Bermudas: preta e marrom.
Responda em seu caderno.
a) Quais são as combinações que eles podem fazer com as camisetas e as bermudas?
b) E se houvesse mais uma cor de camiseta (azul) quantas combinações seriam?
Solução: montar tabela, horizontal camisetas, vertical bermudas ou o contrario. Pedir que desenhe as combinações.

TI – 6 Pesquise em livros-texto e apresente s dois exemplos de situações-problema envolvendo a divisão-comparação. Para cada um deles, monte um esquema de solução.
1º Exemplo: Tenho 24 bombons e quero colocar 4 em cada cestinha.
Quantas cestinhas eu precisarei?
2º Exemplo: Ganhei 24 birocas jogando, resolvi dar 4 birocas para cada colega que estava jogando comigo.
Com quantos colegas eu estava jogando?



Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº4 de 02/04/2012 - Continuação: Fascículo 02 – Operação com números Naturais


TI 7 - Aplique uma atividade como esta em sua turma e faça um pequeno relato dos resultados.
Apliquei esta atividade com alunos do 3° ano que estão freqüentando o reforço escolar.
Fiz no chão da sala a reta numérica até o n° 36. Dividi os alunos em duas equipes, A e B. Usei um dado grande para fazer o sorteio da quantidade de pulos e do comprimento deles, assim cada aluno lançava o dado duas vezes.
Propus a brincadeira:
- Vamos brincar de bota mágica, é uma bota imaginária que dá pulos do comprimento que quisermos.
A equipe vencedora é a que a bota levar mais longe.
Na lousa fiz o quadro de marcação constando as equipes, o numero e o comprimento dos pulos.
Como são poucos alunos, jogaram três rodadas. Quando saia jogada invertida, 2x4 depois 4x2, eles já falavam: - Vai dar no mesmo numero.
As vezes parava o jogo e fazia perguntas: - Quanto a equipe B precisa tirar no dado para vencer a equipe A, depois que o jogador já tinha tirado o número de pulos.
Eles gostaram muito, achei o resultado positivo.

TI 8 – Aplique uma atividade como está em sua turma. Descreva a atividade que você aplicou e faça um pequeno relato dos resultados.
Apliquei a atividade com um aluno do quinto ano (reforço), joguei com ele. Peguei 2 folhas com as retas numéricas(3), até o n° 36 (conforme modelo dado pelo tutor).
A cada jogada ele indicava com as flechas a que número chegou e fiz assim com ele nas primeiras. Depois fui direto ao resultado, demorou um tempo para ele entender porque eu não precisava indicar os pulos, que o jogo representava a tabuada. Ele conseguiu fazer o mesmo mas, só quando o resultado da multiplicação dava até 10.
Ele ficava muito feliz quando ganhava de mim.
É uma boa maneira de entender a multiplicação e memorizar a tabuada. Pode se utilizar o dado de 8 faces para aumentar o repertório.

TI 9 – Aplique uma atividade como esta em sua turma. Descreva a atividade que você aplicou e faça um pequeno relato dos resultados.
Não apliquei esta atividade mas achei uma boa estratégia para que os alunos entendam a divisão. Assim por exemplo eles perceberão que dentro do 20 cabem 4 retas de 5cm.

TI 10 – Aplique uma atividade como esta em sua turma. Descreva a atividade que você aplicou e faça um pequeno relato dos resultados.
Também não apliquei esta atividade mas é muito importante que a criança faça o registro, para ter certeza que ela entendeu o conteúdo dado.

TI 11 – Desenvolva as etapas do primeiro estágio para o produto 67x8.
Decompor o n° 67 em 60+7 e multiplicar cada parcela por 8 e depois somar os resultados obtidos. Assim a criança entenderá que o 6 no n° 67 vale 60. E que usamos o algoritmo 67x8 para encurtar o cálculo.

TI 12 – Faça a divisão de 137 por 8 por subtrações sucessivas. Pense em grupos para formar que facilitem suas contas. A partir de suas escolhas, pense em sugestões que você pode oferecer aos alunos para facilitar a tarefa deles.
Formar 10 grupos de 8, multiplicar 10x8 e tirar o resultado que é 80 de 137 sobrava 57 formar 5 grupos de 8, multiplicar 5x8 e tirar o resultado que é 40(que é a metade da multiplicação anterior) dos 57 que ainda restavam. Agora restou 17 que ainda da para formar 2 grupos de oito = 16 que subtraído dos 17, restará só 1 que não dá para formar mais grupos(Cool.
Antes de ensinar esse processo de divisão trabalhar multiplicação por 10, 100, 1000 e trabalhar dobro e metade.

2.1 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES COM OS ALUNOS
TI 7 - Aplique uma atividade como esta em sua turma e faça um pequeno relato dos resultados.
Apliquei esta atividade com alunos do 3° ano que estão freqüentando o reforço escolar.
Fiz no chão da sala a reta numérica até o n° 36. Dividi os alunos em duas equipes, A e B. Usei um dado grande para fazer o sorteio da quantidade de pulos e do comprimento deles, assim cada aluno lançava o dado duas vezes.
Propus a brincadeira:
- Vamos brincar de bota mágica, é uma bota imaginária que dá pulos do comprimento que quisermos.
A equipe vencedora é a que a bota levar mais longe.
Na lousa fiz o quadro de marcação constando as equipes, o numero e o comprimento dos pulos.
Como são poucos alunos, jogaram três rodadas. Quando saia jogada invertida, 2x4 depois 4x2, eles já falavam: - Vai dar no mesmo numero.
As vezes parava o jogo e fazia perguntas: - Quanto a equipe B precisa tirar no dado para vencer a equipe A, depois que o jogador já tinha tirado o número de pulos.
Eles gostaram muito, achei o resultado positivo.

TI 8 – Aplique uma atividade como está em sua turma. Descreva a atividade que você aplicou e faça um pequeno relato dos resultados.
Apliquei a atividade com um aluno do quinto ano (reforço), joguei com ele. Peguei 2 folhas com as retas numéricas(3), até o n° 36 (conforme modelo dado pelo tutor).
A cada jogada ele indicava com as flechas a que número chegou e fiz assim com ele nas primeiras. Depois fui direto ao resultado, demorou um tempo para ele entender porque eu não precisava indicar os pulos, que o jogo representava a tabuada. Ele conseguiu fazer o mesmo mas, só quando o resultado da multiplicação dava até 10.
Ele ficava muito feliz quando ganhava de mim.
É uma boa maneira de entender a multiplicação e memorizar a tabuada. Pode se utilizar o dado de 8 faces para aumentar o repertório.

3- MINHAS CONCLUSÕES
Com os jogos as crianças aprendem com prazer e é um bom momento para interferir fazendo com que a criança lance mão de novas estratégias, desenvolvendo o raciocínio.



Última edição por marisa bruschini camilo em Qua Jun 20, 2012 5:01 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

4 5º encontro em Qui Abr 26, 2012 1:21 pm

Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº5 de 19/04/2012 Fascículo 3 - Espaço e Forma

1 - DESCRIÇÃO SUCINTA DO ENCONTRO DE CURSISTAS


Neste encontro fizemos atividades de localização e movimentação no espaço com pontes de referência, atividade explorando as formas geométricas presentes na natureza e nos objetivos criados pelo homem, que fazem parte do nosso cotidiano.


2 - Tarefas Propostas

A primeira atividade que fizemos foi montar uma maquete sobre uma folha de papel pardo. Minha equipe escolheu fazer uma pista de Skate. Utilizamos sólidos geométricos, alguns objetos encontrados em nossas bolsas e caneta piloto para fazer a maquete.
Depois tiramos as peças e fizemos a planta baixa que, posteriormente foi passada para uma folha sulfite, trabalhando assim, com escala, 10:3.
Foi um bom trabalho em equipe, estávamos em 4 pessoas, e todas estavam envolvidas, cada uma dava sua opinião e fazia uma parte. E é assim que o trabalho em equipe deve funcionar.

A segunda atividade(TI1) realizada foi trazida pelo tutor, ele projetou imagem do mapa de Viradouro, deu alguns pontos de referência e pediu que localizássemos alguns lugares.
Assim vimos como é bem mais atrativo trabalhar localização e movimentação em um espaço real e de conhecimento de todos.

A terceira atividade(TI2) realizada foi fazer no papel quadriculado, as vistas de cima, de frente e lateral de duas embalagens sobrepostas.
Não tive dificuldade, me lembrei das aulas que tive no colegial sobre representação de vistas. Na época foi difícil entender, melhor dizendo ver essas vistas eram peças complicadas com curvas. Acredito que mostrando as crianças desde pequenas que podemos ter várias vistas de um mesmo objeto, dependendo da nossa posição, vai ampliar sua visão em relação ao mundo e as formas geométricas.

3- MINHAS CONCLUSÕES

Gostei muito desse encontro, foi mais dinâmico e enriquecedor, espero que continue assim.

Ver perfil do usuário

5 Encontro n°6 em Qua Maio 16, 2012 9:01 pm

Pró-Letramento em Matemática–Viradouro 2012
Cursista: Marisa Bruschini Camilo
Tutores: Profª.- Iara Lúcia e prof. – Manoel Aparecido Brandão
Encontro nº6 de 26/04/2012 - Continuação do fascículo 3 Espaço e Forma p.14 à 23

1 - DESCRIÇÃO SUCINTA DO ENCONTRO DE CURSISTAS

Começamos o encontro assistindo trechos de um filme "Donald no país da matemática", que mostra uma viagem pela geometria de uma forma natural. percebemos que as formas geométrica estão ao nosso redor: nas construções, nas flores, nos jogos, etc.
Neste encontro também falamos sobre simetria e tangram.

2 - TI’s (Tarefas Individuais) Propostas
TI 9 - Verifique por dobradura, quantos são os eixos de simetria do quadrado, retângulo e círculo?
Apliquei na turma do ano passado eles construíram o quadrado, o triângulo e o círculo em folha de papel sulfite. Pedi que verificassem por meio de experimentação quantos eixos de simetria possuíam.
Eles encontraram dificuldade só no círculo, pois encontraram vários eixos e não sabiam como registrar a resposta. Ficavam comparando uns com os outros e discutindo. Acabaram chegando a conclusão de que não se podia dar a exatidão da quantidade de eixos do círculo, porque é infinito.

TI 14 - Construção de um tangram:

Apliquei esta atividade em um 5°ano no ano passado.
Fui desenhando na lousa cada etapa da dobradura e fazendo junto com eles o meu para que acompanhassem. fazia as dobras e riscavam.
Deu trabalho, alguns se perderam, com a ajuda dos colegas todos construíram o tangram.
Pedi que formassem com as sete peças o desenho de uma casa, um barco e outras figuras. Dei para eles uma folha com os desenhos em tamanho pequeno, para que tentassem reproduzi-los.
Eles gostaram muito dessa atividade, criança gosta de desafio.
Na apostila tinha a história do tangram.
As TI 16 e TI 17 também faziam parte do bloco de atividades da apostila que eles usavam "Anglo". Por meio delas foi mais fácil introduzir o conteúdo frações.

3- MINHAS CONCLUSÕES

Este encontro mostrou que tem formas mais divertidas e entusiastas de apresentar aos alunos a geometria.
Se no meu tempo fosse assim, tenho certeza que teria aprendido mais sobre geometria, era tudo chato e difícil, ninguém entendia nada e pouco ou quase nada era cobrado. Era mais só para constar que foi dado.

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum